A Bíblia é uma mentira?

Não, a Bíblia não é uma mentira. Muitos relatos históricos na Bíblia têm sido comprovadas pela arqueologia e por outros documentos históricos. Mesmo quem não acredita nos milagres precisa reconhecer o valor da Bíblia como documento histórico.

A Bíblia e a arqueologia

A arqueologia tem confirmado vários fatos relatados na Bíblia, como:

  • Lugares – cidades mencionadas na Bíblia foram encontradas por arqueólogos, com as mesmas caraterísticas descritas na Bíblia. Por exemplo, escavações na ruínas de Jericó provaram que a cidade tinha muros muito largos que caíram (Josué 6:20) e foi incendiada (Josué 6:24) na época em que Josué provavelmente existiu.
  • Pessoas – algumas personagens da Bíblia são mencionadas em outros documentos escritos e inscrições antigas. Pessoas como o governador romano Pilatos, o sumo sacerdote Caifás e o rei Herodes realmente existiram (Lucas 23:12).
  • Costumes – imagens e textos antigos confirmam costumes de que a Bíblia fala, como a forma de vestir, de se cumprimentar, valores morais, táticas de guerra...

Mito ou verdade?

Algumas partes da Bíblia, como o Dilúvio, têm semelhanças com mitos dos povos vizinhos de Israel. Seu estilo literário e os temas que tratam são parecidos. Mas a Bíblia também tem muitas diferenças. As histórias da Bíblia acontecem em contextos históricos reais, com pessoas normais que têm defeitos reais, não como os heróis mitológicos de outros povos.

Leia também: a Bíblia é confiável?

As semelhanças com histórias de outros povos apenas provam que a Bíblia é uma boa referência histórica, ligada à cultura da época, não uma fraude criada por monges muito tempo depois. As muitas evidências históricas nos desafiam a crer também nos milagres da Bíblia e a aceitar Jesus como nosso salvador.