Jesus foi tentado?

Sim, Jesus foi tentado. Jesus sentiu pressão para pecar mas ele sempre escolheu fazer o que é certo. A tentação de Jesus nos mostra que nós também podemos resistir à tentação.

A Bíblia diz que Jesus foi tentado e sofreu mas ele resistiu e não pecou (Hebreus 2:17-18). A tentação vem do diabo mas Jesus provou que podemos resistir, com a ajuda da Palavra de Deus.

Veja aqui: o que é tentação?

A Bíblia nos conta três tentações que Jesus sofreu e como ele resistiu:

1. Tornar pedras em pão para comer

Jesus tinha jejuado durante 40 dias e estava com fome. O diabo sugeriu que Jesus podia transformar pedras em pão, já que era Filho de Deus. Mas Jesus respondeu que uma pessoa não vive só de pão; o mais importante é a Palavra de Deus. O diabo queria que Jesus usasse seu poder para satisfazer os desejos de seu corpo. Mas Jesus mostrou que obedecer a Deus é mais importante que satisfazer nossos próprios desejos (Mateus 4:1-4).

2. Saltar de um edifício alto sem se machucar

O diabo levou Jesus até o ponto mais alto do templo e distorceu as Escrituras para tentar convencer Jesus a saltar. Mas Jesus respondeu que é errado pôr Deus à prova. O diabo queria que Jesus forçasse Deus a fazer um milagre, para provar seu poder. Mas Jesus mostrou que não devemos exigir milagres especiais para crer em Deus (Mateus 4:5-7).

3. Adorar o diabo para ter poder sobre o mundo todo

O diabo ofereceu a Jesus poder sobre o mundo todo. Jesus só tinha que o adorar. Mas Jesus respondeu que só se deve adorar a Deus. A oferta do diabo era generosa: Jesus poderia governar o mundo todo como ele achasse certo. Mas para isso, ele teria de rejeitar a Deus. Jesus mostrou que nada é mais importante que ser fiel a Deus (Mateus 4:8-10).

Jesus podia pecar?

Jesus tinha livre-arbítrio, como cada um de nós. Jesus tinha capacidade para escolher pecar ou não pecar. Como homem, ele estava sujeito às mesmas pressões externas que todos sofrem.

Veja também: o que é o livre-arbítrio?

Se Jesus não tivesse capacidade para escolher entre o pecado e o bem, ele não seria humano. Sem livre-arbítrio, Jesus seria apenas uma máquina, sem poder. Mas Jesus era muito poderoso, ele tinha o poder para rejeitar o pecado e fazer a vontade de Deus.