O que é uma seita?

Uma seita é um grupo de pessoas que segue uma variante dentro de uma religião. Os membros de uma seita normalmente seguem regras específicas que os outros da religião principal não seguem, ou ensinamentos ou interpretações diferentes. No início da Igreja, os cristãos eram considerados uma seita dentro do judaísmo.

Dentro de uma religião, podem existir vários grupos diferentes, com interpretações diferentes sobre essa religião. Uma seita é um grupo que se destaca da maioria por alguma razão.

Por exemplo, os fariseus eram uma seita dentro do Judaísmo. Eles procuravam obedecer não somente à Lei de Moisés, que todo judeu deveria seguir, mas também a muitas outras regras que tinham criado. Na sua busca por santidade pessoal, eles foram muito além do que era necessário para um judeu (Atos dos Apóstolos 26:5).

Outra seita judaica era o grupo dos saduceus. A maioria dos judeus aceitava o Antigo Testamento todo como a Palavra de Deus, com autoridade divina. Mas os saduceus apenas achavam que os primeiros cinco livros valiam como regra de fé.

Veja também: quem eram os fariseus e saduceus?

Cristianismo – uma seita judaica?

Quando a Igreja começou, depois da ressurreição de Jesus, muitos acharam que o Cristianismo era apenas mais uma seita judaica (Atos dos Apóstolos 24:5). De início, os discípulos (que eram quase todos judeus) pregaram principalmente para judeus e muitos ainda mantinham várias práticas judaicas. Os cristãos iam para as sinagogas e para o templo em Jerusalém, apresentando o evangelho através da explicação do Antigo Testamento.

A distinção do Cristianismo como religião separada aconteceu gradualmente. Os cristãos começaram a pregar mais para outros povos, que não seguiam o Judaísmo, e a abandonar várias práticas judaicas, como os sacrifícios. O primeiro grande conflito na Igreja foi sobre as práticas judaicas.

Muitos cristãos judeus achavam que todos deveriam continuar a obedecer a toda a Lei de Moisés. Mas os gentios (pessoas de outros povos) não achavam necessário (Atos dos Apóstolos 15:5-6). Todos os líderes da Igreja se reuniram, discutiram o assunto e chegaram à conclusão que os cristãos não precisavam seguir a Lei de Moisés. Foi aí que se deu a quebra oficial entre o Cristianismo e o Judaísmo.

No entanto, ainda levou bastante tempo até o Cristianismo ser reconhecido mais amplamente com uma nova religião. Mas o abandono de regras fundamentais do Judaísmo, como a circuncisão e as restrições alimentares, mostrou que não era apenas mais uma seita judaica.

Leia aqui: como era a igreja primitiva?

Seitas dentro do Cristianismo

Atualmente, a palavra “seita” tem alguma conotação negativa. Muitas vezes, quando é usada no cotidiano, significa um grupo com ensinos heréticos.

Descubra aqui: o que é heresia?

Existem muitas interpretações diferentes da Bíblia e ao longo do tempo surgiram várias correntes de pensamento cristãs. Normalmente, uma seita é um grupo que se identifica com uma corrente maior mas tem algumas regras ou ensinamentos específicos para seus membros. Mas a maioria dos grupos prefere não ser chamada de seita, por causa do significado negativo que adquiriu.