Como reconhecer um relacionamento abusivo? O que fazer nessa situação?

Um relacionamento abusivo acontece quando há manipulação ou violência, para exercer controle sobre alguém. Sempre que possível, é bom sair de um relacionamento abusivo e procurar ajuda. Deus não quer que você seja maltratado.

O abuso pode acontecer em vários tipos de relacionamento: entre namorados, cônjuges, pais e filhos, irmãos, amigos, colegas de trabalho… Normalmente, os casos mais graves são os relacionamentos abusivos que acontecem em casa, entre familiares. A Bíblia condena todo tipo de abuso, porque trai o amor.

Os relacionamentos servem para dar a cada um segurança, carinho e amor (1 Coríntios 16:14). Quando um relacionamento se torna abusivo, o agressor trai a confiança de quem está sendo abusado. O abuso trai a aliança entre pessoas e é pecado.

Quais são os sinais de um relacionamento abusivo?

Um relacionamento abusivo não segue as regras de amor, respeito e honestidade, que são a base de qualquer relacionamento saudável. Você poderá estar em um relacionamento abusivo se:

  • O agressor lhe manipula - você acaba sempre fazendo o que ele quer, mesmo quando você explica que não quer
  • O agressor faz chantagem emocional - faz você se sentir culpado por tudo, ou na obrigação de fazer a vontade dele
  • O agressor torce a verdade - a versão dele não bate certo; ele é sempre o herói ou a vítima, nunca está errado - 1 Coríntios 13:6
  • O agressor lhe humilha - grita com você, lhe chama nomes, diz coisas humilhantes sobre você, em privado e/ou em público - 1 Pedro 2:17
  • O agressor lhe machuca - segura com muita força, bate, dá pontapés, empurra, atira objetos, ou corta você; qualquer tipo de violência física - Efésios 4:26-28
  • O agressor lhe isola - não gosta que você se encontre com outras pessoas; parece que você só tem a ele
  • O agressor lhe intimida ou ameaça - ameaça lhe deixar sozinho, que ninguém lhe vai amar nem ajudar, que sem ele você não vai sobreviver, que vai tirar tudo de você, que vai machucar ou matar você ou alguém que você ama, ou que vai cometer suicídio…
  • O agressor lhe controla - parece que você precisa da aprovação dele para tudo que você faz
  • O agressor lhe força a ter relações sexuais - quando você diz não mas ele lhe obriga, isso é violação e é crime

Se qualquer uma dessas coisas está acontecendo, é sinal que algo está muito errado no relacionamento e precisa mudar. Se você se sente confuso sobre a situação, converse com outra pessoa sobre o relacionamento. Quanto maior a intimidade, maior é a confusão que um relacionamento abusivo provoca. Um olhar de quem está fora da situação pode ser muito útil.

Veja também: o que Deus diz sobre violência doméstica? Como um cristão deve reagir?

Como resolver um relacionamento abusivo?

O mais importante é acabar com o abuso. Deus não quer que você viva debaixo de abuso. Um relacionamento abusivo pode ter consequências muito ruins para você, como depressão, medo, pânico, esgotamento nervoso, ódio por si mesmo, doenças mentais, lesões físicas ou até a sua morte ou a morte de quem você ama. Deus não quer isso para sua vida! Isso é obra do diabo.

Se você está namorando uma pessoa abusiva, termine o namoro! Você não deve explicações. Saia do relacionamento agora, antes que as coisas piorem. Essa não é a pessoa correta para casar com você. Fuja da situação.

Se o relacionamento abusivo está acontecendo com amigos, procure cortar relações. Isso não é amizade (1 Coríntios 15:33). Se está acontecendo no trabalho, veja se a situação pode ser resolvida com a liderança e/ou procure outro emprego. Mesmo um emprego que dá menos dinheiro é melhor do que ficar nesse tipo de situação.

Se o abuso está acontecendo em seu casamento, nos casos menos graves, veja se seu cônjuge está disposto a mudar e a participar de terapia. O cônjuge deve aceitar ser acompanhado e ter de prestar contas a alguém de fora, além de permitir que você também seja acompanhado. Se isso não acontecer, ou em caso de agressão física ou ameaça, saia de casa. Essa pessoa pode destruir você e seus filhos. É melhor amar de longe.

Mesmo se não acabar em divórcio, um tempo de separação pode ser muito importante. Isso lhe dará tempo para recuperar do abuso e para pôr as coisas em perspetiva. Também dará tempo ao agressor para se dar conta de seus erros e a aceitar fazer mudança em sua vida (mas atenção, isso pode não acontecer). Deus quer seu bem, não seu mal. Não se sinta obrigado a ficar com o agressor (1 Coríntios 7:16).

Se você é menor de idade, conte a alguém mais velho o que está acontecendo. Se o abuso está acontecendo em casa, fale com um professor em quem você confia, um policial ou outra autoridade. Você não deve lealdade com o agressor, ele não tem o direito de fazer isso com você.

Em todas essas situações, não se esqueça: Deus está com você. Se você está sendo vítima de um relacionamento abusivo, a justiça de Deus está do seu lado. Ore a Deus e procure ajuda (Tiago 1:5). Você pode se libertar do abuso, mas não precisa lutar sozinho. Deus vai lhe ajudar.

Atenção: o abuso doméstico é crime. Se você está sendo abusado, você pode denunciar a situação à polícia.