Quem foi Santo Agostinho?

Santo Agostinho foi um bispo e defensor da fé cristã que teve grande influência na igreja medieval e atual. Ele foi professor e escreveu vários livros de interpretação da Bíblia que influenciaram a doutrina da Igreja Católica e de outras igrejas que surgiram mais tarde.

Santo Agostinho viveu entre 354 e 430 d.C., quando a igreja começava a ter maior poder no império romano. Seu pai era pagão mas ele foi educado como cristão pela mãe. Na sua juventude, Agostinho seguiu uma religião chamada Maniqueísmo, que misturava crenças sobre Jesus com ideias pagãs. Durante esse tempo, Agostinho provou um pouco da vida “louca” que era comum a jovens de classe alta do seu tempo.

Já mais maduro, Agostinho rejeitou o Maniqueísmo e se dedicou à filosofia, sendo muito influenciado pelas ideias de Platão, que sugeriam que a alma era imortal e que havia vida depois da morte. Ele teve uma carreira promissora como professor.

A conversão de Agostinho

Com 30 anos, Agostinho voltou a se interessar pelo Cristianismo. Ele finalmente se converteu ao ler Romanos 13:13-14. Agostinho foi batizado e, depois de perder vários elementos de sua família, abandonou a carreira e se tornou padre. Depois de alguns anos, Agostinho foi nomeado bispo da cidade de Hipona, em África. Por isso, ele é conhecido como Santo Agostinho de Hipona.

Agostinho usou seu conhecimento sobre a Bíblia e sobre argumentação filosófica para defender sua fé. Nesse tempo havia vários grupos com ideias diferentes sobre Jesus e a Bíblia. Agostinho defendeu tão bem sua interpretação da Bíblia que convenceu grande parte da igreja do seu tempo!

Ao longo de sua vida, Agostinho escreveu muitos livros, que foram usados pela Igreja Católica para definir várias de suas doutrinas ao longo da Idade Média. Suas ideias também influenciaram muitas outras igrejas ao longo do tempo.

Veja também: o que é doutrina?

Alguns dos livros mais conhecidos de Agostinho são:

  • Confissões – sobre sua vida sem Deus e sua conversão
  • A Cidade de Deus – sobre a importância e a realidade espiritual da igreja
  • Sobre a Trindade – que procura explicar o conceito de Trindade

Os ensinamentos de Santo Agostinho e a Bíblia

Santo Agostinho baseava seus ensinamentos principalmente na Bíblia e cria que a salvação vem pela graça de Deus, através de Jesus (Efésios 2:8). No seu tempo, a Bíblia já tinha sido toda escrita. Podemos aprender muito com as ideias de Agostinho mas é bom lembrar que não têm a mesma autoridade que a Bíblia.

Agostinho é mais conhecido por suas ideias sobre o pecado original. Ele acreditava que, por causa do pecado, toda a experiência humana estava corrompida, até mesmo o ato sexual. Agostinho sugeria que todos nascemos com pecado porque somos concebidos a partir de desejos carnais, que não são virados para Deus. Os sentimentos e desejos que acompanham o ato sexual o corrompem.

Veja aqui: o que é o pecado original?

A Bíblia diz que todos herdamos o pecado de Adão. Temos tendência a pecar. Mas a Bíblia não diz que o pecado é transmitido no ato sexual. Na verdade, a Bíblia celebra o amor e o prazer sexual dentro do casamento! - Provérbios 5:18-19 Por outro lado, precisamos tomar cuidado com nossos desejos, porque a imoralidade sexual é pecado.

Agostinho teve várias atitudes positivas. Ele defendia a paz e sugeriu que apenas se deveria fazer guerra por motivos justos. Agostinho contribuiu para o ensino, ajudou os pobres e admitia que seu conhecimento era limitado e que podia ser revisado e corrigido.

Para bem ou para mal, os ensinamentos de Agostinho continuam a influenciar a interpretação da Bíblia até hoje.