O que Deus diz sobre violência doméstica? Como um cristão deve reagir?

Deus odeia a violência doméstica e fica muito zangado com os agressores. A atitude correta para um cristão é lutar contra a violência doméstica e dar apoio às vítimas. A violência doméstica transforma a bênção da família em maldição.

Deus criou a família para ser o lugar onde todos se sentem seguros e amados. A violência doméstica destrói essa bênção de Deus. Onde há violência doméstica, a aliança da família é quebrada.

A violência doméstica acontece quando alguém na família abusa de seu poder e maltrata física e/ou psicologicamente outro membro da família mais fraco ou vulnerável. Na maioria dos casos o agressor é alguém com autoridade sobre a vítima. Essa é uma traição terrível, que Deus detesta. Os mais fortes e poderosos deveriam proteger os mais vulneráveis, não abusar deles! - Provérbios 31:8-9

Como ajudar uma vítima de violência doméstica?

Toda vítima de violência doméstica precisa de amor. Esse amor precisa ser mostrado com ações, não apenas com palavras (1 João 3:18). A vítima precisa saber que tem apoio e que não vai ser abandonada. Em termos práticos:

Investigue com cuidado

Há sinais reais de violência doméstica? Não ignore o pedido de ajuda mas avalie a situação e peça sabedoria a Deus (Tiago 1:5). Tente conhecer todos os fatos (mas tome cuidado com a forma que você faz as perguntas!). Se você não sabe o que fazer, procure a ajuda de alguém mais sábio, com a permissão da vítima.

Não acuse a vítima!

Em casos de violência doméstica, é muito comum o agressor manipular a vítima, lançando a culpa toda sobre ela. Se você acusar a vítima, você vai ajudar o agressor, não a vítima!

A vítima não tem culpa. Sim, a vítima pode estar a fazer coisas que irritam o agressor, mas isso não justifica a violência. Muita gente se irrita mas não bate na família! Ninguém tem o direito de ser violento com outra pessoa. A culpa é do agressor, que não está lidando bem com suas emoções (Provérbios 29:11). A vítima precisa saber isso.

Veja também: o que a Bíblia diz sobre discussões no casamento?

Promova a segurança

A vítima precisa sair dessa situação, mesmo que seja temporariamente. Quem vive muito tempo em um ambiente de violência doméstica fica com uma visão distorcida da realidade. Para sarar, a vítima precisa se afastar do agressor e viver em segurança. Não faça a vítima sentir que tem de ficar com o agressor! A Bíblia não dá nenhuma garantia que o agressor vai mudar se a vítima ficar (1 Coríntios 7:16).

Se a vítima decidir sair de casa, não conte ao agressor onde ela está! Agressores podem ser muito manipuladores. Assim como fingiram que estava tudo bem em casa, podem fingir arrependimento para continuar com o abuso ou para conseguir sua vingança (Provérbios 26:23-26).

Veja aqui: cristão pode se separar?

Promova a cura

A vítima vai precisar de muito apoio para sarar suas feridas, aprender a perdoar e fazer uma nova vida, em segurança. Se você ou sua igreja não é capaz de dar esse apoio todo, existem várias instituições boas, especializadas em ajudar vítimas de violência doméstica. Aproveite esses recursos.

Procure conhecer os programas de apoio a famílias de sua igreja e de outras instituições. Se o agressor quiser mudar, sugira alguns desses programas. Se a vítima quiser, ela poderá se encontrar com o agressor em um desses ambientes seguros. Mas não faça a vítima se sentir obrigada a encontrar com o agressor. Mesmo depois de perdoar, isso pode ser muito traumático. A decisão de encontrar o agressor (e talvez ter um relacionamento saudável com ele, mais tarde, se o agressor mudar) tem de vir da vontade da vítima, não da pressão de outras pessoas.

Leia aqui mais sobre o perdão.

Para pensar: a mesma passagem que diz que Deus odeia o divórcio também diz que Deus odeia o homem violento, que tem por hábito ser violento (Malaquias 2:16). O divórcio não deve ser banalizado mas é uma opção válida para a vítima de violência doméstica.

Atenção! Quando se trata de crianças, é preciso sempre envolver as autoridades. Tirar uma criança de casa é crime de rapto, se não for o Estado a fazer. Seja com crianças ou adultos, a violência doméstica é crime e deve ser denunciado. A denúncia ajuda a receber apoio.