Qual é o significado da parábola dos talentos?

A parábola dos talentos mostra como não devemos desperdiçar as oportunidades que Deus nos dá. Os verdadeiros seguidores de Jesus aproveitam as oportunidades e obtêm bons resultados. Os falsos seguidores desperdiçam tudo que recebem.

Uma parábola é uma pequena história contada para explicar uma verdade complexa. Jesus contou a parábola dos talentos para explicar o que vai acontecer quando ele voltar.

A parábola dos talentos

Na parábola dos talentos, um homem rico entregou seus bens ao cuidado de três de seus servos, antes de partir em viagem. Ao primeiro ele deu cinco talentos de ouro. Um talento era cerca de 34 quilos de ouro, uma fortuna na época! Ao segundo servo, ele deu dois talentos e ao terceiro ele deu um talento. Ele distribuiu o dinheiro dessa maneira porque conhecia as capacidades de cada um (Mateus 25:14-15).

Os dois primeiros servos investiram o dinheiro e conseguiram duplicar o que tinham recebido. Mas o terceiro servo cavou um buraco no chão e enterrou o ouro!

Um dia, passado muito tempo, o patrão voltou e chamou seus servos para prestar contas. O primeiro servo mostrou como tinha duplicado seus cinco talentos e seu senhor o recompensou (Mateus 25:19-21). O segundo mostrou como tinha duplicado seus dois talentos e também foi recompensado, da mesma maneira como o primeiro.

O terceiro servo desenterrou seu talento de ouro e o entregou de volta ao patrão. Ele se desculpou dizendo que não quis fazer nada porque tinha medo da severidade de seu senhor (Mateus 25:24-25). Mas o senhor ficou muito zangado com o servo. Mesmo tendo medo, teria sido fácil e seguro emprestar o dinheiro a juros ao banco. Ele tinha desperdiçado uma grande oportunidade! Por isso, o patrão mandou tirar o talento dele e dar ao servo com dez e lançar o servo ruim nas trevas (Mateus 25:28-30).

Descubra aqui: quem não entrará no Reino dos Céus?

O significado da parábola

Na parábola dos talentos, o homem rico representa Jesus. Depois que ressuscitou, ele deixou a terra mas confiou sua missão, sua autoridade e seus dons aos seus seguidores (Mateus 28:18-20). Nosso trabalho, como seguidores de Jesus, é trabalhar para a glória de Deus, investindo tudo que recebemos dele.

Jesus dá tesouros a cada um de nós: Sua palavra, o Espírito Santo, amor, dons... E com esses tesouros vem a responsabilidade de os administrar bem. Jesus conhece nossas capacidades e não nos dá mais do que conseguimos administrar. A cada um ele dá de acordo com suas habilidades (1 Coríntios 12:4-7).

Veja também: por que Jesus falava por parábolas?

Existem muitas pessoas que dizem crer em Jesus mas nem todos são verdadeiros seguidores. A fé sincera se revela nas atitudes e ações (Tiago 2:26). Aqueles que creem em Jesus aproveitam o que ele lhes dá e usam tudo para expandir o reino de Deus. Cada um faz o que consegue com os recursos que Deus lhe deu e Deus ajuda a multiplicar.

Os falsos seguidores são como o servo inútil. Eles não amam Jesus. Sua verdadeira motivação é o medo de um Deus severo. Pensam que estão obedecendo a Deus mas não entendem a maravilhosa bênção do amor de Deus. Como seu coração não é realmente dedicado a Deus, eles não aproveitam o que Deus lhes dá e trabalham de mau grado.

No fim dos tempos, quando Jesus voltar, ele fará distinção entre os verdadeiros e os falsos seguidores. Ele recompensará os verdadeiros seguidores, que fizeram o que puderam segundo suas capacidades, com a glória do Céu. Mas os falsos seguidores, que mostraram por suas ações que não foram transformados por Jesus, serão castigados com o fogo do inferno.