Quais são os frutos do Espírito?

De acordo com Gálatas 5:22-23, o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Esses são os resultados de uma vida guiada pelo Espírito Santo.

Quando alguém aceita Jesus como o seu salvador, o Espírito Santo passa a habitar dentro da pessoa. Isso transforma a sua vida. O fruto do Espírito é o resultado da ação do Espírito Santo na vida do crente.

Porque o fruto do Espírito e não os frutos do Espírito?

No texto de Gálatas 5:22-23, o apóstolo Paulo usa a palavra fruto, no singular. Um primeiro pensamento é que o resultado do fruto do Espírito são virtudes, qualidades. Estas virtudes devem ser vividas na vida de um crente, assim o fruto é completo e há unidade!

Vamos imaginar um cacho de uvas em que esse cacho é o fruto do Espírito e as uvas são as virtudes. Se, por acaso, alguma dessas uvas fica podre, vai contaminar todo o cacho.

Então, parece que Paulo enfatizando o quão importante as virtudes são, mas principalmente estarem em unidade e sendo vividas pelo crente, assim rejeitando as obras da carne.

O que é o fruto do Espírito na vida do crente?

Basicamente, podemos dizer que é rejeitar a vida pecaminosa e é o resultado da presença do Espírito Santo na vida do crente.
Fruto do Espírito na vida do crente é vida com Jesus, na qual obedecemos ao Senhor e, resulta no andar no Espírito (Gálatas 5:16-26).

Quando entregamos a nossa vida ao Senhor, nesse momento o Espírito Santo passa a habitar em nós (1 Coríntios 6:19) e só por meio Dele que o fruto é gerado em nós (João 16:13-14). Quando esse fruto é gerado, permanece por toda a vida (Gálatas 6:8).

Portanto, uma das tarefas do Espírito Santo quando começa a habitar na vida de um crente, é começar a transformar a pessoa e, somente o Espírito Santo que pode nos ajudar a vencer a luta da nossa carne (2 Coríntios 5:17; Filipenses 4:13).

Como desenvolver o fruto do Espírito na vida do crente?

Temos que entregar a nossa vida a Jesus, “nascer novamente” e, receberemos o Espírito Santo para habitar em nós. Desde que o Espírito Santo habita em nós, Ele começa a agir, nos ajudando na luta contra as obras da carne (adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, ira, heresias, invejas, bebedeiras, glutonarias). Lembrando que, quem pratica tais coisas não herdarão o Reino de Deus (Gálatas 5:19-21).

Logo, é uma batalha contra a nossa natureza humana, mas, somente com ajuda do Espírito Santo que vamos conseguir desenvolver as virtudes do fruto do Espírito para vencê-la, portanto, se vivemos em Espírito andemos também em Espírito (Gálatas 5:24-25).

A lista em Gálatas é um resumo dos resultados principais de uma vida com Cristo, virtudes do fruto do Espírito:

1. Amor

Amor - Deus é amor e quem está com Deus tem amor (1 João 4:16); principal virtude do fruto do Espírito (1 Coríntios 13:13), é o maior mandamento bíblico: “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:36-39).

Em Romanos 5:5 vemos que esse amor foi derramado nos nossos corações através do Espírito Santo. É o amor incondicional, que deve ser praticado em favor de todos, sem distinção (Romanos 12:20). Amor é atitude e não sentimento (1 João 5:3).

2. Alegria

Alegria - Em Jesus temos verdadeira alegria porque temos esperança e sabemos que somos salvos; com Deus a tristeza é apenas uma fase, a alegria volta sempre (Salmos 30:5).

Alegria não é a mesma coisa que felicidade! Felicidade está ligado a circunstâncias, logo é algo passageiro. A alegria está, além disso, inclusive permanece em momentos tristes (2 Coríntios 7:4), pois com as aflições e tribulações que passamos é que vamos adquirindo a capacidade de desenvolver a alegria verdadeira (Tiago 1:2-4).

Portanto, a alegria não está ligada a circunstâncias (João 16:22).

3. Paz

Paz – A Bíblia ensina que temos paz com Deus através de Jesus (Romanos 5:1). O Deus todo-poderoso, agora, é nosso amigo (Romanos 8:31, João 15:15)!

Também temos um ensinamento bíblico que essa paz deve guardar o nosso coração de qualquer aflição ou medo (Filipenses 4:7), seja qual for a situação. Esta paz, como fruto do Espírito, é verdadeira e total (João 14:27).

4. Paciência

Paciência – A melhor descrição de paciência é longanimidade, que traz a ideia de ânimo longo, pois a paciência como fruto do Espírito não é uma espera inativa (Tito 3:14), mas uma capacidade de persistir (Provérbios 16:32), e permanecer firme (Judas 1:21), mesmo quando existem adversidades (Tiago 5:10, João 16:33).

É ter convicção que no tempo certo o que está sendo plantado será colhido (2 Pedro 3:15, Gálatas 6:9). A longanimidade (paciência) faz com que preparemos a terra e plantemos as sementes, enquanto esperamos pela chuva (Tiago 5:7, Eclesiastes 11:4).

5. Amabilidade

Amabilidade – a forma como tratamos as pessoas muda, porque vemos o valor que elas têm para Deus. Ser amável ou exercer a amabilidade é ter compaixão, misericórdia e ser generoso com o próximo (Marcos 1:40-41, Efésios 4:32).

É quando colocamos o outro em primeiro lugar, renunciando assim o nosso "eu" (Romanos 12:10). Está ligado ao amor, portanto, somos aconselhados a demonstrar amabilidade. Logo, quer dizer que não devemos causar dor a ninguém (Mateus 5:43-48; Lucas 6:27-38).

6. Bondade

Bondade – Bondade é fazer o bem, não para agradar as pessoas, mas para fazer o que é correto e justo! (Salmos 15, Efésios 5:9-10).
Bondade é gerado em nós pelo Espírito Santo e que nos capacita a zelar pela verdade e pelo que é certo. Assim, nos leva a rejeitar tudo o que é ligado à maldade e perversidade.

7. Fidelidade

Fidelidade – O que observamos muito no nosso mundo é uma fidelidade condicional, que é uma espécie de relação de "circunstâncias" muitas vezes depende do nível de relacionamento, e também do comportamento da outra pessoa.

Quando há desconfiança que a outra pessoa já não é mais digna de confiança, então a fidelidade vai para segundo plano.

A fidelidade, como fruto do Espírito, é ser fiel a alguém, sem ter que ser correspondido (Salmos 15:4), reflete a fidelidade de Deus (Salmos 86:15, Hebreus 10:23). O Senhor sempre permanece fiel, mesmo quando nós somos infiéis (2 Timóteo 2:13, Romanos 3:3).

Portanto, uma das maiores provas de que a fidelidade está sendo desenvolvida nas nossas vidas são quando nós permanecemos fiéis ao Senhor, não pelo que Ele faz ou pode fazer por nós (Lucas 16:10, Mateus 25:21), mas por quem Ele é (Deuteronômio 32:4).

8. Mansidão

Mansidão – Mansidão é a capacidade de ser sereno e agir com calma mesmo em situações desagradáveis (1 Pedro 2:23). Um aspecto revelador da mansidão, como fruto do Espírito, é deixar-se dirigir por Deus (Salmos 27:11, Salmos 139:24), como uma ovelha é guiada pelo pastor (João 10:27-28).

Primeiramente, a mansidão deve ser desenvolvida no nosso relacionamento com o Senhor (João 14:23) e, depois irá refletir no nosso comportamento com o próximo (Tito 3:2).

9. Domínio próprio

Domínio próprio – No sentido original desta palavra, ela descreve a competência de uma pessoa conter-se a si mesma (Tiago 3:2, 1 Coríntios 6:12, pois uma das maiores lutas que as pessoas têm é contra os seus próprios desejos (Tiago 1:14). Quando não há o domínio próprio, algumas coisas acontecem, por exemplo, caminhar longe do propósito do Senhor (Romanos 8:8).

Entretanto, com a ajuda do Espírito Santo, é possível gerar o domínio próprio e manter, e isso vai nos permitir saber agir quando for o tempo certo, vai permitir esperar quando for necessário esperar (2 Timóteo 1:7).

Veja: o que é santificação?

Os frutos da carne

O fruto do Espírito é o contrário do fruto da carne (uma vida de pecado). Gálatas 5:19-21 diz que o fruto da carne é: imoralidade sexual, impureza, libertinagem, idolatria, feitiçaria, ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções, inveja, embriaguez, orgias e outras coisas semelhantes.

Veja aqui mais sobre as obras da carne.

Portanto, vamos lembrar que quem desenvolve o fruto e suas virtudes é o Espírito Santo, mas a agilidade que isso vai acontecer, depende de nós (2 Pedro 1:5-11).

Só vamos desenvolver mais rapidamente o fruto do Espírito quando a nossa obediência ao Senhor for aumentando, assim a nossa vida vai sendo completamente transformada e, certamente vai influenciar outros a seguirem o mesmo caminho (Mateus 5:14).