O que é a lei da semeadura? É bíblica?

A lei da semeadura é uma regra geral que ensina que cada pessoa colhe o que planta. Nossas ações têm consequências. Esse ensinamento é bíblico mas tem seus limites e devemos tomar cuidado para não cair em extremos.

A lei da semeadura está explicada em Gálatas 6:7-8: cada um colhe aquilo que semeou em sua vida. Quem semeia uma vida de pecado colherá destruição, mas quem semeia uma vida dedicada a Deus colherá a vida eterna. Deus retribui a cada um conforme seu procedimento (Romanos 2:6-8).

Cada ação, cada decisão tem suas consequências. Isso é a lei da semeadura. Por exemplo, se você semear trigo em seu quintal, você não vai colher milho. Vai colher trigo. Da mesma forma, se você plantar mentira, discórdia e maldade, você vai colher castigo. Mas se você semear bondade, amor e honestidade, Deus vai recompensar você.

Veja aqui: quais são as consequências do pecado?

As consequências nem sempre se sentem logo. Uma planta leva tempo para crescer. Um ladrão pode ser apanhado no ato ou somente anos depois, quando é investigado por corrupção. O mesmo acontece com atos bons.

A lei da semeadura traz esperança a todos que obedecem a Deus (Gálatas 6:9). Não trabalhamos em vão! Seguir Jesus e viver para ele é investir na eternidade, acumulando tesouros no Céu que ninguém nos pode roubar (Mateus 6:19-20). Além disso, podemos colher muitas bênçãos espirituais ainda nessa vida.

Os limites da lei da semeadura

A lei da semeadura é uma regra geral mas nem sempre funciona exatamente como achamos. Nessa vida, fazer o bem nem sempre traz recompensa e fazer o mal nem sempre traz castigo. Muitas pessoas sofrem por amor a Cristo e muita gente ruim vive bem por causa de sua maldade. Os generosos nem sempre enriquecem e os ladrões nem sempre são apanhados.

A Bíblia diz que o tempo e o acaso afetam a todos (Eclesiastes 9:11). Também somos afetados pelos atos uns dos outros e por acontecimentos fora de nosso controle. Algumas sementes não germinam e outras produzem muito mais que o normal. A lei da semeadura não é tão simples quanto pode parecer.

Por causa do pecado, o mundo está cheio de injustiças. Mas isso não durará para sempre. Quer seja nessa vida, quer seja no Juízo Final, todos vão ter de responder por seus atos diante de Deus. A verdadeira colheita será na eternidade.

Veja também: Deus é justo?

O que a lei da semeadura não significa

A lei da semeadura NÃO significa que se você ofertar muito para a igreja você vai enriquecer muito mais. A Bíblia não ensina isso. Deus promete suprir as necessidades de quem é fiel a Ele mas isso é muito diferente de tornar rico (2 Coríntios 9:7-8). Obedecer a Deus não é um negócio; Deus não é um banco de investimento. Quem pensa assim ainda não entendeu o evangelho. As maiores bênçãos não são materiais.

A lei da semeadura NÃO significa que você vai ter uma vida fácil se obedecer a Deus. Fazer o bem não garante uma vida sem sofrimento. No entanto, uma vida dedicada a Deus é muito melhor que uma vida de pecado e traz muitas bênçãos que não dependem das circunstâncias (2 Coríntios 4:16-17).

Descubra aqui mais: o que é a Teologia da Prosperidade?

A lei da semeadura NÃO significa que Deus lhe deve alguma coisa. Deus não lhe deve nada. Ele pode fazer o que Ele quiser, porque não há nada que você consegue fazer para merecer a salvação, muito menos as bênçãos de Deus. O cristão deve fazer o bem porque é a coisa certa a fazer. Deus recompensa bons atos e perdoa os pecados de quem se arrepende porque Ele é bom, não porque nos deve alguma coisa.