A Bíblia fala sobre unicórnio?

Não, a Bíblia não fala sobre unicórnio. A Bíblia fala sobre animais com chifres mas não são criaturas mitológicas. Chamar esses animais de unicórnios é um erro de tradução.

Algumas versões da Bíblia traduziram uma certa palavra hebraica como unicórnio. Mas os tradutores não estavam a pensar em um cavalo branco com um chifre na cabeça e poderes mágicos! A palavra unicórnio significa literalmente “um chifre”. Nas versões que têm a palavra unicórnio, é com o sentido de um animal com um chifre.

A palavra hebraica que alguns traduzem como unicórnio é “re'em”. Não se sabe ao certo que animal é esse mas as traduções antigas em grego e latim traduziram como “animal de um chifre”. Alguns tradutores antigos traduziram como unicórnio porque seu significado é parecido mas depois a palavra unicórnio ficou associada a um ser mitológico que não existe, causando confusão. Por causa desse significado diferente, “unicórnio” não é a melhor tradução para “re'em”.

A Nova Versão Internacional traduz a palavra “re'em” como “boi selvagem” (Salmos 92:10). Outras pessoas sugerem que é um tipo de rinoceronte ou outro animal com chifres que existia na região de Israel antigamente, como o auroque. Ninguém sabe ao certo que animal era mas não era a criatura mitológica que associamos ao unicórnio.

Veja também: o que é o Leviatã?

Caraterísticas do “unicórnio” na Bíblia

  • Forte – era um animal perigoso de enfrentar, por causa de sua força – Números 24:8
  • Indomável – era selvagem, não podia ser domesticado – Jó 39:9-10

Ao contrário do unicórnio mitológico, o “unicórnio” da Bíblia era selvagem e assustador. Representava poder e força que devia ser respeitada, difícil de vencer. Animais selvagens com chifres eram perigosos, porque quando atacavam podiam matar. Não era como um cavalo, que se pode montar e guiar.