Quem eram os escribas? Qual era a função do escriba?

Os escribas eram pessoas cuja profissão era escrever. Eles registravam e copiavam coisas importantes por escrito, como: documentos legais ou administrativos, registros históricos, informação comercial e as Escrituras. No Novo Testamento, os escribas também eram professores da lei judaica.

Antigamente, poucas pessoas sabiam ler e escrever. Mesmo entre quem sabia, livros e material de escrita eram muito caros e poucos tinham a oportunidade de praticar. Por isso, o escriba tinha uma função muito importante.

O trabalho do escriba era registrar por escrito tudo que fosse importante preservar. Assim, o escriba atuar em várias áreas diferentes. Ele podia ter a função de contabilista, mantendo registros de compras e vendas para comerciantes, construtoras ou serviços administrativos. Também poderia servir como historiador, escrevendo relatos dos momentos mais importantes de sua época ou de feitos dos reis.

Alguns escribas escreviam ficção ou registravam histórias populares. Além disso, muitos escribas tinham uma função religiosa, copiando textos religiosos com exatidão. Onde era preciso alguém que sabia escrever, ali o escriba encontrava trabalho.

Escribas na Bíblia

Várias partes da Bíblia provavelmente foram escritas por escribas. Dois escribas importantes mencionados na Bíblia são Baruque e Esdras. Baruque trabalhava para o profeta Jeremias, que ditava suas palavras de profecia para ele (Jeremias 36:32). Esdras era um sacerdote, escriba e doutor da Lei de Deus que voltou do exílio na Babilônia e liderou um avivamento religioso judaico (Esdras 7:6).

Veja aqui a história de Esdras.

Além desses escribas, outros podem ter contribuído para a Bíblia. Vários dos livros históricos e/ou as fontes originais que foram usadas para escrevê-los provavelmente foram escritos por escribas. Outros profetas além de Jeremias podem ter contratado o serviço de escribas para registrar suas palavras.

No Novo Testamento, os escribas judeus eram também doutores, ou mestres, da Lei. Além de copiar os textos sagrados, eles se dedicavam à interpretação e aplicação da Lei de Moisés. Eles eram parecidos com professores de teologia. Os escribas ensinavam a Lei e sua interpretação aos outros judeus e eram muito respeitados por seu conhecimento.

Em várias ocasiões, Jesus repreendeu os escribas (mestres da lei) por seus ensinamentos errados (Mateus 23:13-15). Muitos escribas davam mais valor às regras da tradição do que às leis de Deus! Por causa disso, vários escribas se tornaram inimigos de Jesus e participaram da conspiração para matá-lo.

Os materiais da profissão de escriba

Um escriba precisava de vários materiais de escrita. Na antiguidade não havia lápis, canetas nem papel como hoje em dia, por isso os escribas usavam outros materiais:

  • Penas ou canas – com uma ponta moldada para receber tinta; serviam como canetas
  • Potes de tinta – em que se mergulhava a ponta da pena múltiplas vezes
  • Papiro ou pergaminho – materiais parecidos com papel, normalmente em rolos
  • Tábuas de barro – em que se inscreviam as palavras com um pau afiado, depois o barro era cozido
  • Facas – para moldar os outros instrumentos

Os escribas normalmente sabiam também criar seus materiais de escrita, como a tinta e os rolos.