Como aumentar sua intimidade com Deus em 5 passos

Ser íntimo de Deus é algo que todos devemos buscar, não é somente para certas pessoas ou grupos.

Deus ama a todos e deseja um relacionamento íntimo com todos. O salmista já disse: "Mas, para mim, bom é estar perto de Deus..." (Salmos 73:28). Se seguirmos as instruções bíblicas, meditarmos nelas dia e noite, certamente seremos filhos íntimos do Pai. (Josué 1:8; Tiago 4:8)

Intimidade é sinônimo de: familiaridade, conforto, confiança, amizade. Significa ser íntimo, em que há muita proximidade. (www.dicio.com.br)

Aqui estão 5 dicas que vão te ajudar a aumentar a intimidade com Deus:

1. Conhecer a Sua Palavra

Ninguém tem intimidade com quem não conhece, e ler a Bíblia é a melhor forma de conhecer a Deus. Devemos fazer como o salmista nos diz: “Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti” (Salmos 119:11).

Um dos principais propósitos da Bíblia é transformar nossa vida, senão o maior. Podemos perceber em Hebreus 4:12: “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração”.

Quando conhecemos a Bíblia, vamos conhecendo Deus, gera-se intimidade, adquirimos confiança e sabemos esperar em Deus, mesmo quando as circunstâncias não são favoráveis. Pela Bíblia nós conhecemos quem é Deus.

2. Ter tempo de oração e jejum

Jesus sabia que seus discípulos nunca compreenderiam plenamente o Seu exemplo de oração (Mateus 6:9-13), se não entendessem primeiramente os princípios da oração. É exatamente por isso que Ele nos deixou seu modelo de oração. Não nos deu uma “reza”, um rito, deu-nos um padrão de oração, e os discípulos aprenderam perfeitamente. O objetivo da oração nunca deve ter como foco ser o centro das multidões, e sim a aprovação do Senhor. Como Jesus disse: "E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam sua plena recompensa. Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará” (Mateus 6:5-6).

Jesus retirava-se para orar (Lucas 5:16). Diferente dos líderes religiosos da época, Jesus não orava para ser visto pelos homens. Orava porque valorizava a intimidade com seu Pai.

O jejum também traz proximidade, intimidade com o Senhor, pois deixamos nossa própria vontade para ouvirmos Sua voz. Ao olharmos para estes exemplos abaixo todos eles têm algo em comum: buscaram mais do Senhor, ficaram mais sensíveis ao falar de Deus, sendo assim, mais íntimos do Senhor.

  • Moisés que jejuou 40 dias (Êxodo 34:28)
  • Esdras, 3 dias (Esdras 10:6)
  • Elias, 40 dias (1 Reis 19:8)
  • Daniel, 21 dias (Daniel 10:3)
  • Paulo, 3 dias (Atos dos Apóstolos 9:9)
  • Jesus, 40 dias (Lucas 4:2)

Saiba mais: Como fazer jejum e oração

3. Ser obediente

A obediência ao Senhor foi sempre visível na vida de Jesus. “Disse Jesus: ‘A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra’” (João 4:34).

Em outra passagem bíblica, Jesus declarou: “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou” (João 6:38).

Obediência é um posicionamento, feito com disciplina e compromisso. Podemos observar quando o rei Saul desobedeceu a Deus recebeu uma advertência (1 Samuel 15:22). Percebemos que pelo fato de não ter obedecido, Saul foi rejeitado como rei de Israel e as coisas começaram a ir mal para ele. Saul desperdiçou a chance de ser obediente, ser abençoado e ser íntimo do Senhor.

Temos muito a ganhar em sermos obedientes ao Senhor. O próprio Filho foi obediente até a morte. Quanto mais somos obedientes, somos mais íntimos e quanto mais íntimos de Deus, mais desejamos fazer Sua vontade.

4. Viver em comunidade

Quando experimentamos a intimidade com Deus, ficamos tão animados que queremos compartilhar isso com outros, inclusive com os irmãos da mesma fé.

“Existem duas coisas que não podemos fazer sozinhos” disse Paul Tournier (citado por Philip Yancey, Igreja: por que se importar, p.39), “uma é casar e outra é ser cristão”.

Jesus é um ser relacional. É por isso que quanto maior for nossa intimidade com Ele, iremos ser mais próximos e intencionais com relação às pessoas. Aí está a importância da convivência, em comunidade (1 João 1:7).

Um outro exemplo bíblico que podemos entender está em 1 João 4:20: “Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê”.

O apóstolo Paulo continua com mais uma instrução: “Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus” (Efésios 2:19).

Jesus deixa-nos esta orientação clara que todos sejamos um, no Senhor. Mesma unidade, mesmo compromisso, mesma vida, mesma intimidade. Uma vida em comunidade.
“Para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17:21).

5. Ter um coração grato

Gratidão não é, ou pelo menos não deveria ser, apenas quando comemoramos a passagem do ano novo. Não é somente por um emprego novo, uma nova casa, um novo carro.

Podemos observar o que Paulo diz sobre a situação do homem, sua falta de reconhecer Deus, ser agradecido. 2 Timóteo 3:2 "Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios," Romanos 1:21 "porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram". Em Salmos 95:10, percebemos o coração ingrato de um povo. "Durante quarenta anos fiquei irado contra aquela geração e disse: "Eles são um povo de coração ingrato; não reconheceram os meus caminhos".

Ter um coração grato muda tudo em nossa vida. Saber reconhecer que Deus tem dado oportunidade de desfrutar da vida. “Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre” (Salmos 107:1).

Por isso que a gratidão e o louvor caminham juntas, pois quando louvamos ao Senhor demonstramos nossa gratidão e reconhecemos Sua bondade.
Sejamos gratos sempre, independentemente das circunstâncias pois Ele sempre tem o melhor para nós. (Romanos 8:28; Jeremias 29:11) Ter um coração grato gera intimidade com o Senhor.

Descubra mais aqui: Como mostrar gratidão